OS EQUIPAMENTOS QUE CARREGO NA MOCHILA

        Antes  de mais nada gostaria de deixar claro que apesar de considerar importante a aquisição de equipamentos para a captura fotográfica, o fato de apenas possuir câmeras, objetivas e acessórios "de ponta"  não vai ajudar em nada  novseu processo de evolução como fotógrafo. Antes disso a preocupação deve ser o domínio da exposição, o entendimento da luz, domínio das técnicas fotográficas e principalmente a composição, além de inúmeros outros fatores.  Digamos que o equipamento seria apenas "a cereja do bolo".   


          Fiz esse post,  a pedido de amigos que já possuem o domínio das técnicas fotográficas ligadas a esse estilo fotográfico e também de diversas pessoas que tem curiosidade sobre esse assunto. Os motivos que me fizeram escolher os equipamentos Nikon será tema de um post no futuro mas cabe ressaltar que as principais marcas, como Canon e Sony possuem câmeras e lentes equivalentes as que serão mencionadas e vários dos demais acessórios podem ser utilizados em conjunto com qualquer outra marca.


        Como fotógrafo de paisagens e Natureza, acredito que viajar o mais leve possível é muito importante. O equipamento pode ser ótimo, no entanto, carregar aquela lente extra que você acha que "deve" usar pode não parecer muito ao fazer as malas. No entanto esse pequeno aumento de peso pode torná-lo muito mais desagradável para você, caso tenha que carregá-lo nas costas ou no ombro por vários dias! Isso também pode fazer você pagar a mais por excesso de peso, ou pior ainda, equipamento quebrado pois você teve que despachar equipamentos com excesso de peso para o compartimento de carga do avião. Neste post, descrevi o equipamento que utilizo como minha configuração atual na maioria das viagens.

Untitled photo

CÂMERA E LENTES

Câmera DSLR Nikon D750


Uma das câmeras mais populares e bem avaliadas já feitas pela Nikon, uma verdadeira lenda para fotógrafos de todas as especialidades. Atualmente é o único corpo de câmera profissional que carrego.


Em viagens mais longas e para locais, onde não é possível ter a mão uma câmera reserva em caso de necessidade, costumo adquirir provisoriamente uma câmera reserva, que costuma ser a D610. A D750 possui tudo que eu realmente preciso: sensor full frame 24MP, 51 pontos AF, corpo leve (para uma câmera FF), slots de cartão SD duplos (que é possível usar como backup).


Uma configuração DSLR mais “top” da Nikon seria a D850 ou D780 (recém lançada) em conjunto com as lentes 14-24 mm 2.8, 24-70 mm 2.8 e 70-200 mm 2.8 “a sagrada trindade”. Todas essas lentes são lendárias por si mesmas e oferecem qualidade de imagem incomparável com pouca luz e em um tripé. No entanto, a lente de 70-200mm sozinha pesa mais do que o corpo da D750 e uma lente de 24-120 mm acoplada! Para fotografia de paisagens, a abertura 2.8 não é tão necessária. Na maioria das vezes utilizo a abertura a partir de f/7.1 que produz resultados surpreendentes.


Outro fator é em relação ao tamanho dos arquivos RAW produzidos. Os 24 MP para mim são mais que necessários, até mesmo para grandes impressões, além de não sobrecarregarem e exigirem tanta capacidade de memória, com arquivos extremamente pesados produzidos por câmeras consideradas superiores. O tamanho do sensor, para quem quer produzir arquivos de alta qualidade é o mais importante. Minha primeira câmera full frame foi uma D610 e ela possui o sensor do mesmo tamanho de uma D850 que é cinco vezes mais cara.


Resolvi fazer um upgrade para uma D750 pelos seguintes motivos:

- Tela reclinável para composições feitas a partir de perspectivas muito baixas ou altas;

- Visualização do histograma no live view em tempo real, muito importante para alcançar a melhor exposição e utilizar a técnica do ETTR mais facilmente;

- Mais alternativas para utilização do bracketing, para fotos de alto alcance dinâmico;

- Intervalômetro acoplado;

- Longa duração da bateria.


Esses últimos cinco recursos ajudam muito para fotografar paisagens e são diferenciais entre as câmeras, que me motivaram a realizar a troca. Aí você pode me perguntar: Porque não uma câmera de sensor APS-C (cropado)? Bom, quando comecei a fotografar, minha primeira câmera foi a DSRL mais barata da Nikon a época, uma D3300. Sempre produziu imagens incríveis mas a diferença de tamanho no sensor, realizada com a troca para uma full-frame aumentou muito a qualidade das imagens em ambientes com pouca luz e alto alcance dinâmico, que notei principalmente por conta da redução de ruído nas sombras e partes mais escuras da foto. Isso motivou meu upgrade de sensor. Mas ainda assim as câmeras DSLR de entrada são uma ótima opção para quem tem interesse em ingressar no universo da fotografia de paisagens e natureza.

Untitled photo

Lente Nikon 16-35mm F4G ED AF-S VR Zoom  


Essa é considerada, se assim podemos dizer, a “segunda” lente zoom grande angular da Nikon, atrás da 14-24mm f/2.8. No entanto, a 16-35mm f / 4 oferece muitas vantagens em relação à 14-24mm. Para começar é bem mais barata. Produz imagens com qualidade e nitidez incríveis, que muitos especialistas comparam à própria 14-24mm! 

     

Para fotografar paisagens essa talvez seja a melhor escolha. Não por acaso é a lente que mais utilizo quando saio para fotografar. A distorção é facilmente corrigida e a qualidade de construção está no mesmo nível de uma lente premium. A melhor lente para paisagens que possuo e não sairia de casa sem ela. As vantagens do 16-35mm em relação à 14-24mm são:

- Muito menos peso. 685g contra 1 kg da 14-24 mm;

- Aceita filtros de 77mm. O 14-24 mm requer sistemas de filtro caros e especiais devido ao formato oval e de grande diâmetro da lente;

Untitled photo


Lente Nikon AF-S NIKKOR 24-120mm f / 4G ED VR


A distância focal desta lente combina perfeitamente com a de 16-35 mm. Cada distância focal que eu poderia precisar em 90% dos casos é coberta, e apenas com 2 lentes, pesando um total de 1,48 kg. A Nikon 24-70 mm 2,8 pesa 1,3 kg (2,8 lb) sozinha. Para um fotógrafo de viagens, essa redução de peso faz uma diferença brutal, que você pode não perceber de início mas já é facilmente sentida após alguns metros de caminhada ou trilha. Assim como minha lente zoom grande angular essa lente aceita filtros de 77mm, me dando a possibilidade de fazer fotos em longa exposição no range de 16-120mm com o mesmo conjunto de filtros. A qualidade de imagem é incrível e nesse sentido está em um nível idêntico à 16-35mm f/4. Para fotografar paisagens essas duas lentes são essenciais e se tivesse que levar somente duas, seriam essas. No caso de escolher apenas uma para uma viagem qualquer, sem dúvidas escolheria ela, pela versatilidade que oferece.

Untitled photo

Lente Nikon AF 50 mm F / 1.8 FX


Raramente uso essa lente mas sempre a mantenho à mão para retratos, objetivos mais pessoais, portanto. Foi umas das primeiras que adquiri. Na época tinha um valor bem acessível, além de ser uma lente clássica para todos que gostam de fotografia. A utilizo às vezes para astrofotografia também e mesmo para paisagens, quando este não é o objetivo principal. Falando somente em nitidez é uma lente perfeita. A cinquentinha talvez seja a lente perfeita para todos os outros tipos de fotografia, que não seja de paisagem e vida selvagem.

Untitled photo

Lente Rokinon 14mm f/2.8


A lente clássica para fotografar paisagens com pouca luz. É considerada por canais especializados como sendo a melhor opção em custo benefício para astrofotografia. Já fiz fotos surreais com ela, até mesmo durante o dia, quando ainda não possuía a 16-35mm. Não consigo utilizar filtros de longa exposição acoplados mas a nitidez que ela possui é a melhor entre as minhas lentes. Não tem o custo tão alto também, o que a torna acessível. O foco dela é manual, o que pode ser problema para alguns. Para mim não é, visto que raramente utilizo foco automático, até mesmo entre as lentes que possuem esse recurso. Não tem aberração cromática e além de tudo é impressionante como não produz distorções, mesmo sendo tão grande angular. A adquiri nova, por encomenda e veio dos Estados Unidos. Na época não havia opção de compra por aqui, nem no Mercado Livre. Foi um pouco antes da minha viagem ao Deserto do Atacama em 2017.

Untitled photo

Lente Nikon ED AF-S Nikkor 70-300mm F/4.5-5.6 G VR


Uma lente de ótimo custo-benefício. Nesse range e nesse preço é o melhor que se encontra. Não possui tanta nitidez e qualidade de imagem como as minhas outras lentes mas com algum esforço é possível fazer fotos de alta qualidade com ela. O VR não impressiona tanto e a chance de “cravar” o foco com ela nas mãos não é garantida, o que é, até certo ponto, uma limitação quando se precisa fotografar rapidamente, objetivo comum para teleobjetivas, visto que essa é uma de suas finalidades (esportes, vida selvagem, etc). Quando coloco-a na minha câmera, em cima do tripé, os resultados surpreendem. A utilizo às vezes para alguns tipos de fotografia de paisagens mas o seu o uso principal é para aves e vida selvagem. O peso e o tamanho são ideais para viagens. Já tenho ela há mais de três anos, comprei usada e em ótimo estado. No futuro, eu a trocaria por um modelo Tamron ou Sigma 100-400mm, no entanto como não utilizo esse range com muita freqüência, não achei que vale a pena investir tanto na troca.

ACESSÓRIOS

Untitled photo

Mochila Mindschift Rotation Pro 180 Horizon


Essa é uma mochila impressionante para fotógrafos de paisagens e natureza. Uma mochila de ótima qualidade para carregar suas coisas é essencial. Nela não cabe apenas meu equipamento fotográfico, mas também meu notebook, cabos, garrafa de água, discos rígidos, lanches e até algumas peças de roupa. Em todos os vôos em que estive, ela coube embaixo do assento à frente, assim como em qualquer cabine superior. Eu tive algumas mochilas diferentes ao longo dos anos mas por ser tão versátil e resistente, pretendo ficar com ela durante vários anos. A qualidade de construção é típica dos produtos dessa marca alemã e ela possuiu recursos exclusivos, como a bolsa de saque rápido, opção ideal para se ter o equipamento em mãos em poucos segundos, quando for necessário, sem ter que tirar a mochila do corpo. Tem um suporte para carregar tripé, que é fantástico, o deixa bem preso na parte de trás, no meio da mochila, bem como eu gosto, pois não sobrecarrega nenhum dos lados. Tem ainda uma barrigueira e um peitoral para distribuir melhor o peso no corpo.

Tripé Benro FGP 28a + Ballhead B1


Comprei este kit na véspera de minha viagem à Patagônia em 2019, pensando principalmente em durabilidade e estabilidade, devido aos fortes ventos e instabilidade do clima por lá. Antes disso possuía um tripé da Benro, modelo MeFoto, que gostava muito. No entanto vislumbrei várias oportunidades de melhoria ao adquirir esse tripé, entre as quais destaco:

- Um menor número de seções e maior facilidade para abrir, agilizando a colocação das pernas no chão;

- A seção central é flexível e você pode colocar a câmera, quase no nível do solo, uma ótima alternativa para fotografia de paisagens, incrementando as perspectivas e composições;

- Suporta um peso maior, podendo pendurar uma mochila ou peso para conferir ainda mais estabilidade.


Após minha experiência com esse tripé por lá destaco como principal fator positivo, a estabilidade. Minhas fotos ficaram muito nítidas, mesmo com muito vento batendo no conjunto. Na principal função que deve ter um tripé ele se saiu muito bem. Como fator negativo, o preço, o peso, que para trilhas longas me incomodou um pouco. A minha principal decepção no entanto foi com a ballhead. Uma das alavancas quebrou no primeiro dia da viagem. Até hoje não entendi como pode acontecer isso com uma marca tão renomada e com uma ballhead tão cara, ainda mais por ter adquirido todo o conjunto novo. No restante da viagem, como não tinha esse equipamento reserva, ela ficou travada na exata posição que quebrou e foi possível concluir a viagem e fazer as fotos, mas a dificuldade aumentou consideravelmente e a minha flexibilidade diminuiu bastante. Já consertei a ballhead e o tripé ficou funcional de novo. Ainda uso quando vou a lugares que ventam bastante. Para essas condições sem dúvida é a melhor alternativa.

Untitled photo

Tripé K&F Concept TC 2534


Já tinha dois tripés, quando vi o review deste modelo aí, e fiquei encantado, principalmente pela avaliação feita por fotógrafos experientes e por ser simples e prático, possuindo tão somente as características que eu realmente preciso. Sempre tive a vontade de ter um tripé de fibra de carbono mas o preço era sempre um fator impeditivo. Ao saber que poderia adquiri-lo novo, já com uma ballhead, por pouco mais de 500 reais, não pensei duas vezes. Então vendi o modelo Me Foto e pensei em fazer deste, meu tripé reserva. Quando recebi, minhas impressões foram extremamente positivas. Muito leve, estável e prático de se utilizar. Não tem tanta robustez como meu tripé Benro mas o considerei bem mais versátil. Tem os mesmos recursos que gostava de utilizar no outro e ainda algumas vantagens, a qual ressalto novamente o peso. Não incomoda praticamente nada nas trilhas. E por incrível que pareça, gostei bem mais da ballhead deste do que a minha anterior. Primeiro porquê já utilizei várias vezes e ela não quebrou, hahahah. O segundo fator é o menor número de alavancas em relação ao outro que tinha três. Este modelo tem duas, mas me atende bem melhor, pois o manuseio é mais rápido e preciso, além de prático. Por essas e por outras já posso dizer que virou o meu tripé titular, deixando o renomado Benro, no banco de reservas.

Filtros

CPL Hoya Pro1 Polarizador


Hoje em dia é possível afirmar que os únicos tipos de filtros realmente necessários são os de densidade neutra e o polarizador, haja vista que não podem ser replicados no pós processamento, por isso são os que carrego na minha bolsa. Já tive filtros ND graduados mas a tecnologia RAW juntamente com o pós-processamento (ferramenta de filtro graduado e mescla de exposições / HDR) oferece o mesmo e até mais possibilidades. Esse CPL (filtro polarizador circular da Hoya é um dos mais bem avaliados no mercado. Já possuo ele há uns 4 anos e o utilizo bastante. Com ele é possível controlar o grau de polarização e portanto, suprimir reflexos indesejados do sol e trazer uma bonita saturação às cores da mata e do céu, principalmente em fotos com água, como em cachoeiras por exemplo. Consigo rosqueá-lo às minhas duas lentes principais de 77mm de diâmetro e ainda colocar os suportes para filtro ND, utilizando os diferentes tipos de filtros em conjunto, quando necessário.


Filtros ND LEE Little Stopper (6 stops) e Big Stopper (10 stops) + suporte e anel adaptador 77mm


Esse é um conjunto fantástico e na época que comecei a me interessar em fazer longas exposições há uns 4 anos atrás era a melhor alternativa, apesar de não ser comercializado no Brasil e ser um pouco caro. No entanto a qualidade do material me fez adquirir o kit, primeiramente sem o Little Stopper, que adquiri um tempo depois, para incrementar as possibilidades. No meu portfólio existem diversas fotografias de paisagens em que utilizo a técnica de longa exposição, graças a esses filtros. O leque de opções e a beleza das imagens produzidas me deu novas e fantásticas opções, além de ter me ajudado muito como fotógrafo, facilitando minha compreensão sobre o domínio da correta exposição. Os efeitos mais clássicos são os borrões na água e nas nuvens, dando um efeito de movimento, que pode ser feito em períodos que variam de frações de segundos até mesmo a vários minutos de exposição, inclusive com os dois filtros combinados no suporte.


Filtros ND K&F Concept 6 stops e 10 stops + suporte + anéis adaptadores de vários diâmetros


Depois de algumas experiências traumáticas produzidas pela falta de equipamentos reservas, sempre penso em adquirir conjuntos reservas de todos os materiais que utilizo com mais freqüência. Quando vi os preços e o review deste kit aí, feitos pelo Marcello Cavalcanti e pelo Ale Rodrigues, cheguei a conclusão que era hora de fazer um “backup” para meu material de longa exposição. Ainda não tive tempo de testar muito o equipamento mas parece funcionar muito bem, mantendo a nitidez da lente e possui um desvio de cor menor até do que o da LEE. O suporte é prático, um pouco menos firme que o da LEE mas segura bem. O diferencial positivo fica por conta dos diversos anéis adaptadores. Agora tenho a opção de tentar longa exposição com minha lente teleobjetiva 70-300mm, uma vontade que sempre tive mas não era possível, por conta do preço altíssimo dos anéis adaptadores da LEE.

Demais apetrechos

L Bracket Kirk para D750


Esse acessório talvez seja um dos mais interessantes para fotógrafos de paisagens e um dos menos divulgados. Simplifica muito a colocação da câmera na ballhead pois já possui o encaixe próprio das principais marcas, do tipo "arca suíça".  Possui o formato exato da minha câmera e depois de encaixado fica muito firme. É possível fazer fotos na posição horizontal e alternar rapidamente para a posição vertical, sem precisar mexer na ballhead. Facilita demais e aumenta a qualidade para fotografias panorâmicas. No Brasil não é muito fácil encontrar mas em sites estrangeiros há uma grande variedade desse produto por preços relativamente acessíveis.


Intervalômetros

Tenho dois atualmente e sempre levo junto pois são bem discretos. Minha câmera possui esse recurso acoplado mas com algumas limitações. Essas duas aquisições foram para suprir isso. O menorzinho é da Nikon, não precisa de bateria ou pilha e quando conectado à câmera traz as vantagens de reduzir a trepidação no momento do clique por não ter que fazer diretamente na câmera e controlar exatamente o tempo de exposição no modo Bulb, essencial para alguns tipos de longa exposição. O maior é da marca Shoot, não tão famosa mas cumpre bem seu papel e pode ser encontrado facilmente no Mercado Livre. Possui alguns recursos que o anterior não possibilitava. Aqui dá pra programar o tempo exato de exposição no modo Bulb, sem precisar ficar acionando e cronometrando manualmente o disparador. É possível configurar o número de fotos a serem tiradas e o intervalo entre elas. Recurso importante para time lapses. Na parte de trás deles coloquei um velcro. A outra parte do velcro coloquei em uma das pernas do tripé. Assim é possível manuseá-lo e na sequência deixá-los presos com segurança, a fim de evitar trepidações que prejudiquem a nitidez da foto.


Baterias EN-EL 15 (4) 3 reservas e uma na câmera e powerbank Xiaomi 20000 mah


É a bateria utilizada na D750. Tem boa duração mas sempre ando com as quatro carregadas para qualquer imprevisto. O powerbank ajuda a carregar o celular ou mesmo as baterias da câmera quando não tenho energia elétrica por perto. Quando completamente carregado, esse powerbank oferece de 4 a 5 cargas completas para meu celular (atualmente, um Samsung S10e)


Lanterna de cabeça PETZL Tikka XP e carregador de baterias Antorium


São acessórios que sempre levo em viagens na minha mochila. Uma lanterna é item importantíssimo para quem faz trilha e fotografa paisagens, até por motivos de segurança, tendo em vista que para se obter a melhor iluminação, boa parte das saídas é ainda no escuro. Uma headlamp deixa suas mãos completamente livres, podendo dar continuidade às suas tarefas normalmente. Essa lanterna, de marca renomada, não é vendida no Brasil, mas a adquiri em conjunto com outros acessórios em uma encomenda que veio do EUA. Ela é discreta, leve, oferece vários níveis de iluminação e possui o recurso da luz vermelha, que ajuda a fotografar, quando desejamos manter uma disciplina de luzes, mantendo a discrição no ambiente e não poluindo as imagens, quando executamos uma astrofotografia, por exemplo. Esse carregador de baterias é bem leve e pequeno. Encontrei por um preço baixo no Mercado Livre e é bem o que procurava, no sentido de oferecer um carregamento mais rápido de minhas baterias, ou até mesmo carregá-las ligadas à um Powerbank, já que possui saída de carregamento USB, para quando for a um local que vá ficar um tempo sem acesso a energia elétrica por exemplo. É possível carregar duas baterias de uma só vez e verificar em tempo real o nível de carga de cada uma delas.


Bolsa Rezo Lowepro 170 AW e Porta Filtros Lowepro S&F Filter Pouch 100


Comprei esses dois acessórios Lowepro, no intuito de melhorar a organização no interior de minha mochila. A primeira bolsa encontrei facilmente no Mercado Livre por um preço acessível e utilizo para guardar as minhas baterias reservas, o intervalômetro pequeno e também para colocar a câmera ou algumas de minhas lentes, conforme cada situação. Ela encaixa perfeitamente no compartimento superior de minha mochila, ainda deixando quase metade da lateral do compartimento livre e um bom espaço acima dela. No compartimento superior da mochila, que é bem espaçoso, também levo esse fantástico porta-filtros, que era exatamente o que procurava e nunca tinha visto pra vender em algum lugar aqui no Brasil. Portanto foi necessário encomendá-lo de fora do país, Ele é discreto,  material de boa qualidade e tem o interior destacável (onde se coloca os filtros). Dentro dele dá pra colocar todos os suportes, anéis adaptadores que utilizo e meus filtros (tem espaço pra 10), podendo ser circulares (como meu polarizador), quadrados (como meus ND) e retangulares (como meus antigos ND Grad de 150x100mm). Ainda possui um encaixe de velcro, que pode ser utilizado para colocar uma alça ou mesmo prender no cinto da calça, como eu gosto de fazer enquanto fotografo utilizando os filtros.


Cartões de memória.


Tenho uns cinco, que sempre levo em uma caixinha bem protegida em um dos bolsos da mochila. Apesar de ter alguns modelos, minha preferência é pelos da SanDisk e gosto muito desse modelo acima de 32 GB, que oferece máxima qualidade! Quando saio para viagens longas, sempre que completo algum, vou guardando, como forma de backup.


Kit limpeza!


Bem importante levar um kit, com pelo menos um soprador e panos de microfibra. Em viagens como essas, sempre vai enfrentar condições climáticas adversas, o que faz necessários ter sempre em mãos um bom kit para manutenir todos os equipamentos, evitando problemas posteriores, como arranhões, excesso de sujeira e umidade, entre outros.


Bom, é isso que tinha pra falar sobre meus principais equipamentos, pessoal! No próximo post vou mostrar os equipamentos de “escritório” que uso, que não costumo levar em viagens, por conta do peso e tipo de uso mas que são muito importantes para meu fluxo de trabalho. Abordarei sobre computador, monitor, calibrador, entre outras coisas! Obrigado pela atenção e até breve!

Deixe seus comentários aqui!

  • No Comments
Powered by SmugMug Owner Log In